No palco da vida.


Entrei em cena sem ser visto
E saí sem ser notado.
Apresentei-me timidamente
Com medo de fazer algo errado.
Acabou que de errado nada fiz,
E de certo também não.
Já que o certo em minha arte
É no espectador causar comoção.

Não fiz nascer o brilho no olhar
Em quem me olhava atuar.
Não fiz chorar,
Não fiz sorrir,
Só fiz mentir.

Menti pra mim mesmo.
Fui pífio no que fiz.
Fiz questão de enganar-me
Achando que o medo ia me confortar,
Mas o medo nunca conforta.

Acovardei-me diante do meu personagem.
Atuo o tempo inteiro
E quando precisei atuar
Faltei com a minha verdade.

Preciso vencer os fantasmas
Que assolam o meu ser.
Preciso ser o que sou
E o que sou tenho de mostrar.
Preciso ser no palco
O que sou na vida.

BrunoricO.

1 comentários:

Ahh...Line. disse...

NUSS... CADA VEZ MAIS INTENSO!

PARABÉNS!

Postar um comentário